Calendário de Vacinação - Crianças

Calendário de Vacinação - Crianças

BCG ID

Esquema: aplicar o mais precoce possível, de preferencialmente ainda na maternidade, nas primeiras 12 horas de vida, em recém-nascido/RN com peso maior ou igual a 2000 g.
 
Comentários: Em caso de suspeita de imunodeficiência ou RNs cujas mães fizeram uso de biológicos durante a gestação, a vacina pode estar contraindicada.  

Hepatite B

Esquema:
a) aplicar a primeira dose nas primeiras 12 horas de vida.
b) o esquema de quatro doses pode ser adotado quando é utilizada uma vacina combinada que inclua a vacina hepatite B, ou seja, a primeira dose ao nascer, com a vacina isolada, e aos 2, 4 e 6 meses de idade com PENTA (DTPw-HB-Hib da rede básica ou DTPa-VIP-Hib na rede privada).

Comentários: Se mãe HBsAg+, administrar vacina nas primeiras 12 horas de vida e imunoglobulina (HBIG) o mais precocemente possível (até sete dias após o parto). 

Tríplice Bacteriana Acelular (Difteria, Tétano, Coqueluche/DTPa)

Esquema: reforço dos 4 a 5 anos pode ser feito com dTpa, DTPa ou DTPw. O reforço dos 9 a 10 anos de idade, deve ser feito com a vacina tríplice acelular do tipo adulto (dTpa).

Comentários: O uso da vacina DTPa é preferível ao da DTPw, pois os eventos adversos associados com sua administração são menos frequentes e intensos. 

Haemophilus influenzae tipo b/Hib

Esquema: recomenda-se o reforço aos 15-18 meses, principalmente quando forem utilizadas, na série básica, vacinas Hib nas combinações com DTPa.

Comentários: Oferecida em dose isolada com indicações específicas na rede pública (Centros de Imunobiológicos Especiais /CRIEs)

Poliomielite Inativada/VIP

Esquema: recomenda-se o reforço aos 15-18 meses, principalmente quando forem utilizadas, na série básica, nas combinações com DTPa. 

Comentários: Recomenda-se que, idealmente, todas as doses sejam com a VIP. Não utilizar VOP em crianças hospitalizadas e imunodeficientes. O reforço de 4 a 5 anos pode ser usada a vacina dTpa ou dTpa+VIP.

Vacinas rotavírus – Monovalente e Pentavalente

Monovalente 
Esquema: duas doses, idealmente aos 2 e 4 meses de idade.

Pentavalente
Esquema: três doses, idealmente aos 2, 4 e 6 meses de idade.

Comentários: Para ambas as vacinas, a primeira dose pode ser feita a partir de 6 semanas de vida e no máximo até 3 meses e 15 dias, e a última dose até 7 meses e 29 dias. O intervalo mínimo entre as doses é de 30 dias. Se a criança cuspir, regurgitar ou vomitar após a vacinação, não repetir a dose. Não utilizar em crianças hospitalizadas. Em caso de suspeita de imunodefciência ou RNs cujas mães  fizeram uso de biológicos durante a gestação, a vacina pode estar contraindicada e seu uso deve ser avaliado pelo médico. 

Pneumocócica Conjugada 13 valente (VPC13)

Esquema: três doses aos 2, 4 e 6 meses de vida, com reforço entre 12 e 15 meses.

Comentários: Iniciar o mais precocemente possível (no segundo mês de vida). A recomendação da VPC13 visa ampliar a proteção e, portanto, quando possível, deve ser usada inclusive para as doses da primovacinação. No entanto, quando isso não é possível, crianças menores de seis anos com esquema completo ou incompleto de VPC10 podem se beneficiar com dose(s) adicional(is) de VPC13, respeitando-se o intervalo mínimo de dois meses da dose anterior. 

Meningocócica Conjugadas ACWY (MenACWY) / Meningocócica Conjugadas C (MenC)

Esquema: o esquema primário varia conforme a vacina utilizada. 
MenC:duas doses, aos 3 e 5 meses de idade e reforço entre 12-15 meses. 
MenACWY-CRM: três doses aos 3, 5 e 7 meses de idade e reforço entre 12-15 meses. MenACWY-TT iniciando após 12 meses de idade: uma dose. 

Para crianças que não  receberam MenC e que iniciam a vacinação em atraso com MenACWY, os esquemas também variam. Com MenACWY-CRM, iniciando entre 7 e 23 meses de idade: duas doses, sendo que a segunda deve ser obrigatoria- mente aplicada após a idade de 1 ano (mínimo dois meses de intervalo entre elas); iniciando após os 24 meses de idade: uma dose. 

Comentários: Sempre que possível, preferir a vacina menACWY, inclusive para os reforços de crianças antes vacinadas com menC. No Brasil, para crianças a partir dos 2 meses de idade, estão licenciadas as vacinas conjugadas: MenC e MenACWY-CRM. A vacina MenACWY-TT está licenciada a partir de 1 ano de idade. Em virtude da rápida redução dos títulos de anticorpos protetores, reforços das vacinas conjugadas (C ou ACWY) são necessários na infância (entre 12 e 15 meses e entre 5 e 6 anos ou cinco anos após a última dose) e na adolescência, aos 11 anos de idade ou cinco anos após o último reforço da infância. Crianças com vacinação completa ou incompleta com menC podem se beneficiar com o uso da vacina MenACWY, com o objetivo de ampliar a proteção. Respeitar o intervalo mínimo de dois meses da última dose de menC.

Meningocócica B Recombinante

Esquema: três doses aos 3, 5 e 7 meses de idade e reforço entre 12-15 meses.
Crianças que iniciam a vacinação mais tarde: 
a) entre 6 e 11 meses: duas doses com intervalo de dois meses e uma dose de reforço no segundo ano de vida respeitando-se um intervalo mínimo de dois meses da última dose;
 b) entre 12 meses e 10 anos: duas doses com intervalo de dois meses.

Comentários: A administração profilática de antipiréticos pouco antes, no momento ou logo após a vacinação pode reduzir a incidência e a intensidade de reações febris pós-vacinação. A medicação antipirética deve ser orientada pelo médico assistente

Influenza (Gripe)

Esquema: a partir dos 6 meses de idade. Quando administrada pela primeira vez em crianças menores de nove anos, aplicar duas doses com intervalo de 30 dias. Crianças menores de três anos de idade recebem 0,25 mL por dose e as maiores de três anos recebem 0,5 mL por dose.

Comentários: Desde que disponível, a vacina influenza 4V é preferível à vacina influenza 3V, por conferir maior cobertura das cepas circulantes. Na impossibilidade de uso da vacina 4V, utilizar a vacina 3V. 

Febre Amarela 

Esquema: dose única, a partir de nove meses de vida para residentes ou viajantes para áreas de vacinação (de acordo com classificação do MS), podendo esse esquema ser reavaliado futuramente.

Comentários: Pode ser recomendada também para atender a exigências sanitárias de determinadas viagens internacionais, devendo a vacinação ser feita até dez dias antes de viagens. Recomenda-se que crianças menores de dois anos de idade não recebam as vacinas febre amarela e tríplice viral no mesmo dia. Nesses casos, e sempre que possível, respeitar intervalo de 30 dias entre as doses. Contraindicada para imunodeprimidos; mas se os riscos de adquirir a doença superarem os riscos potenciais da vacinação, deve ser avaliado pelo médico.

Hepatite A

Esquema: duas doses, aos 12 e 18 meses. 

Comentários: Para crianças a partir de 12 meses de idade não vacinadas para hepatite B no primeiro ano de vida, a vacina combinada hepatites A e B na formulação adulto pode ser considerada para substituir a vacinação isolada (A ou B) com esquema de duas doses (0 - 6 meses).

Sarampo, Caxumba, Rubéola/SCR 

Esquema: considerada protegida a criança que tenha recebido duas doses da vacina após 1 ano de idade.

Comentários: Em situacão de risco para o sarampo – por exemplo, surto ou exposição domiciliar – a primeira dose pode ser aplicada a partir de 6 meses de idade. Nesses casos, a aplicação de mais duas doses após a idade de 1 ano ainda será necessária. Veja considerações sobre o uso da vacina quádrupla viral (SCRV) no item  abaixo. O uso em imunodeprimidos deve ser avaliado pelo médico.

Varicela

Esquema: duas doses da vacina após 1 ano de idade.

Comentários: É considerada protegida a criança que tenha recebido duas doses na vida. Em situação de risco – por exemplo, surto de varicela ou exposição domiciliar – a primeira dose pode ser aplicada a partir de nove meses de idade. Nesses casos, a aplicação de mais duas doses após a idade de 1 ano ainda será necessária. Veja consideracões sobre o uso da vacina quádrupla viral (SCRV). O uso em imunodeprimidos deve ser avaliado pelo médico.

Quádrupla viral Sarampo, Caxumba, Rubéola, Varicela/(SCRV).

Esquema: aos 12 meses, na mesma visita, aplicar a primeira dose da tríplice viral e varicela em administrações separadas (SCR + V) ou com a vacina quádrupla viral (SCRV). A segunda dose de tríplice viral e varicela, preferencialmente com vacina quádrupla viral, pode ser administrada a partir dos 15 meses de idade, mantendo intervalo de três meses da dose anterior de SCR, Varicela ou SCRV.

Comentários: O uso em imunodeprimidos deve ser avaliado pelo médico.

HPV

Esquema: para meninas e meninos é de três doses: 0 - 1 a 2 - 6 meses.

Comentários: Duas vacinas estão disponíveis no Brasil: HPV4 licenciada para ambos os sexos; e HPV2, licenciada apenas para o sexo feminino. 

Dengue 

Esquema: três doses  0 – 6 - 12 com intervalo de seis meses entre elas.

Comentários: Completar o esquema de três doses para proteção na chegada do verão. Contraindicada em crianças menores de nove anos de idade e em imunodeprimidos.

Nota: Sempre que possível, preferir vacinas combinadas. Sempre que possível, considerar aplicações simultâneas na mesma visita. Eventos adversos significativos devem ser notificados.

Fonte: Calendário da Criança/Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) – 2017/2018 (com algumas modificações)
 

Desculpe, a área que você está acessando só está disponível em português.

Baixe nosso Aplicativo

Você está em:

Enviar instruções
por e-mail:

Enviar resultados
por e-mail: