Notícias Científicas
5 de outubro de 2015

Testes Genéticos em Cardiologia

Hoje é possível diagnosticar vários tipos de marcadores genéticos que propiciam a ocorrência de arritmias e miocardiopatias e aumentam o risco de morte súbita. A análise genética pode colaborar com o cardiologista no estabelecimento do diagnóstico de cardiopatias herdadas, na definição terapêutica e no suporte e prevenção de risco de morte súbita. No Laboratório Sabin, por meio do Perfil Genético Cardiológico, é possível a análise de 46 genes* associados a cardiopatias herdadas e a identificação de indivíduos com propensão a: 

Cardiomiopatia hipertrófica;

• Cardiomiopatia dilatada; 

• Defeito do septo atrial;

• Displasia arritmogênica do ventrículo direito;

• Doença de Fabry;

• Doença de Danon;

• Síndrome de Barth;

• Síndrome do QT Longo (SQTL);

• Síndrome de Brugada;

• Taquicardia ventricular polimórfica catecolaminérgica

(TVPC);

• Outras doenças genéticas também associadas a morte súbita.

*Genes analisados: ABCC9; ACTC1; ACTN2; ANKRD1; CASQ2; CAV3; CRYAB; CSRP3; CTF1; DES; DSC2; DSG2; DSP; DTNA; EMD; FHL2; GLA;JUP; LAMA4; LAMP2; LDB3; LMNA; MYBPC3; MYH6; MYH7; MYL2; MYL3; MYLK2; MYOZ2; NEXN; PKP2; PLN; PRKAG2; RBM20; RYR2; SGCD; TAZ; TCAP; TMEM43; TMEM43; TNNC1; TNNI3; TNNT2; TPM1; TTN; TTR; VCL.

Foto

Dr. Anderson Rodrigues
CRM CRM-DF 14089

Médico Cardiologista Consultor Médico do Laboratório Sabin

Desculpe, a área que você está acessando só está disponível em português.

Baixe nosso Aplicativo

Você está em:

Enviar instruções
por e-mail:

Enviar resultados
por e-mail: