Notícias Científicas
18 de agosto de 2017

Avaliação da Função Plaquetária - Cardiologia

O que é? O PFA100 e o PFA200 são sistemas utilizados para a avaliação da função de adesão e agregação plaquetárias.

Como funciona? O teste é realizado após uma simples coleta de sangue venoso em tubo com anticoagulante (citrato). Na análise, o sistema aspira o sangue total em um reservatório através de uma abertura microscópica para uma membrana teste, específica para avaliação de alterações da função plaquetária. Este teste possibilita a pesquisa de alterações funcionais primárias das plaquetas ou secundárias ao uso de ácido acetil salicílico (AAS) ou inibidores do P2Y12 (clopidogrel, prasugrel e ticagrelor).

Quando deve ser utilizado? O PFA100/200 detecta indivíduos com baixa ou alta reatividade plaquetária em uso de inibidores da agregação plaquetária. A alta reatividade plaquetária (inibição plaquetária insuficiente), para pacientes em uso de AAS ou inibidores do P2Y12 , pode ser considerada como fator de risco para trombose de stent, infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico ou óbito após intervenção coronariana percutânia (pós-PCI).

A baixa reatividade plaquetária (inibição plaquetária excessiva) é considerada um fator independente de risco para sangramento pós-PCI. Este exame é indicado, também, para pacientes que fazem uso de inibidores plaquetários com o objetivo de estimar o melhor momento para a realização de procedimentos cirúrgicos e, assim, minorar o risco de sangramentos.

Foto

Dr. Anderson Rodrigues
CRM CRM-DF 14089

Médico Cardiologista Consultor Médico do Laboratório Sabin

Desculpe, a área que você está acessando só está disponível em português.

Baixe nosso Aplicativo

Você está em:

Enviar instruções
por e-mail:

Enviar resultados
por e-mail: