Notícias Científicas
5 de outubro de 2015

Detecção e genotipagem do Papilomavírus Humano no Laboratório Sabin

Guiado pelos resultados descritos abaixo e para atender com qualidade tanto mulheres quanto aos homens o Laboratório Sabin atualmente utiliza a metodologia Clart-HPV2 (Biomerieux) para detecção e genotipagem do Papilomavírus Humano (HPV).

Comparação de quatro ensaios comerciais para detecção doPapilomavírus Humano em amostras de homens e de mulheres.

Atualmente, há vários ensaios comerciais para a detecção doPapilomavírus Humano (HPV). No entanto, existem diferenças importantes entre suas propostas, como: genótipos detectados, metodologia utilizada e região alvo do genoma viral. Isto confere características analíticas únicas para cada um deles. Além disso, a indicação deste exame para homens tem aumentado substancialmente (1/3 da rotina laboratorial).

Neste estudo, comparou-se quatro ensaios comerciais para a detecção de HPV em homens (n=27) e em mulheres (n=56). Os ensaios foram: Captura Híbrida (Qiagen), Papillocheck (Greiner-bio-one), Clart-HPV2 (Biomerieux) e Real-Time HPV de alto risco (Abbott), todos registrados pela ANVISA. Avaliou-se a concordância geral, a positividade, os falsos-negativos (falha na detecção de um genótipo contemplado pelo ensaio) e os falsos-negativos por não-inclusão (negativo pelo fato do genótipo não ser contemplado pelo ensaio).

Observou-se que, a concordância geral entre os quatro métodos foi maior nas mulheres (78,7%) do que nos homens (45,2%). A positividade para o HPV de cada ensaio estão apresentados na tabela 1.  Resumidamente, não foi observada diferença entre as positividades para HPV nas mulheres, mas sim nos homens. Nos homens, a porcentagem de falsos-negativos para captura híbrida, Papillocheck, Clart-HPV2 e Abbott-PCR foram 35,5%, 16,1%, 3,2% e 12,9%, e os falsos-negativos por não-inclusão 8,2%, 0%, 0% e 35,4%, respectivamente.

Em conclusão, os quatro ensaios comerciais avaliados foram estatisticamente semelhantes nas mulheres. Por outro lado, Papillocheck e Clart-HPV2 mostram um desempenho superior à captura híbrida e Abbott-PCR nos homens, por diferentes razões. A captura híbrida nos homens foi penalizada pela incapacidade de detectar genótipos incluídos no ensaio (falsos-negativos), possivelmente devido à sua menor sensibilidade em relação às demais técnicas (baseadas em PCR) em amostras masculinas. O Abbott-PCR foi prejudicado nos homens porque detecta apenas genótipo de alto risco (falsos-negativos por não-inclusão). Assim, métodos baseados em PCR, que incluam genótipos de alto e baixo risco devem ser usados para a detecção de HPV em homens. O Clart-HPV2 foi o ensaio que apresentou bons resultados tanto para as mulheres quanto para os homens.

Dr. Gustavo Barra - Coordenador de Pesquisa do Laboratório Sabin.

Autores do trabalho: Gustavo Barcelos Barra, Lara Franciele Ribeiro Velasco, Lídia Freire Abdalla, Sandra Santana Soares Costa e Ticiane Henriques Santa Rita

Foto

Dr. Gustavo Barra

Coordenador de Pesquisa do Laboratório Sabin

Desculpe, a área que você está acessando só está disponível em português.

Baixe nosso Aplicativo

Você está em:

Enviar instruções
por e-mail:

Enviar resultados
por e-mail: